07 Maio 2020

Como fazer uma horta de temperos na cozinha do apê

Compartilhe:

Você mora em um apartamento e não tem muito espaço disponível, mas sonha em ter uma mini-horta de temperos?

Pois bem, saiba que esse é um problema de muitas pessoas, mas felizmente é possível de ser resolvido com algumas boas práticas.

O primeiro passo é escolher o que plantar na horta de temperos. Ou seja, quais sabores e aromas você deseja integrar em sua alimentação.

Com base nisso, você reduzirá as suas escolhas e será mais fácil decidir o plantar e como cultivar.

Continue a leitura e saiba como montar sua horta de temperos!

Como fazer uma horta de temperos em vasos

A maioria dos temperos não exige cuidados excessivos. Uma rega periódica e apenas algumas horas de luz solar possibilitam que as plantas cresçam e se desenvolvam de maneira próspera em praticamente qualquer lugar, inclusive na cozinha do seu apartamento.

A melhor parte disso é que você pode plantar basicamente qualquer tempero em vasos, já que eles não exigem muito espaço.

Basicamente, a escolha do tamanho do vaso deve ser feita de acordo com a necessidade da planta em questão. Por exemplo, o manjericão é um tempero cujas raízes não necessitam de muito espaço. Vasos pequenos ou médios já são suficientes para ele.

Na hora de comprar a planta em uma horticultura, informe-se com o vendedor sobre os vasos mais adequados para cada tempero.

Quanto espaço disponível você precisa para fazer sua horta de temperos

Como foi dito na introdução, cultivar uma mini-horta de temperos na cozinha de um apê é uma ideia que exige, em primeiro lugar, noção de espaço.

Você pode aproveitar a parte inferior do batente da janela para colocar vasos pequenos, por exemplo, e outros espalhados pelo balcão.

É possível horizontalizar sua horta de cozinha com uma jardineira compacta. Ou, ainda, se preferir, pode aproveitar bem o espaço dispondo seus temperos em uma horta vertical, que pode ser montada na parede. Sem dúvida, é uma das maneiras de ocupar menos espaço e, ainda, agregar função decorativa e prática.

Você também não precisa acumular todas as plantas no mesmo lugar. Aliás, cada planta tem necessidades específicas e se desenvolve melhor quando você dá a ela exatamente o que precisa.

Então, pense em instalar prateleiras extras, caso queira verticalizar a hora. E isso pode ser feito em qualquer parte da cozinha, em lugares mais altos ou próximos das janelas. 

Como deve ser a iluminação e a rega da sua horta de temperos

Em relação aos cuidados com sua mini-horta de cozinha, o principal elemento para o cultivo é a luz do sol. Ele proverá um desenvolvimento saudável, visto que a maioria das plantas exige pelo menos duas horas de luz solar direta por dia.

Já em relação à água, é preciso regar periodicamente, em especial nas primeiras horas do dia ou no final da tarde. Se as plantas tiverem contato direto com o sol, não regue-as nesse momento, já que a evaporação fará com que ela não consiga absorver os nutrientes de forma apropriada.

Algo muito importante a se levar em consideração na hora de escolher o melhor lugar para colocar sua horta de temperos é entender como o sol se comporta. 

Para você conseguir visualizar melhor o que estamos falando, confira o posicionamento do astro-rei em cada período do ano:

Solstício de dezembro: no que seria o verão no hemisfério sul, o sol está mais inclinado para o Sul.

Solstício de junho: o sol se posiciona mais ao norte em nosso céu.

Se você olhar direitinho, vai ver que o poente nunca está no mesmo lugar, assim como o nascente varia de acordo com o mês do ano. Mas, o que que a sua hora de temperos na cozinha tem a ver com isso? Tudo.

Se você tiver uma horta para o leste ou para o oeste, possivelmente vai receber luz solar direta durante o ano todo. 

Mas se a fachada da sua cozinha der para o norte, suas plantas vão receber mais sol no período do inverno, e muito menos (ou nada) no verão. 

Por outro lado, hortas de apartamento que estão dirigidas ao sul acabam recebendo mais sol exatamente na estação mais quente do ano, em dezembro. 

Isso é importante para pensar na irrigação, por exemplo, já que no verão será necessário regar ainda mais se a horta estiver para o sul.

Ao mesmo tempo, acompanhe de perto o comportamento das plantas se elas não estiverem recebendo sol suficiente no inverno: pode ser que você tenha que mudar a horta por uns meses, até o sol voltar a incidir na cozinha. 

Cuidados e adubação da horta caseira

É comum que surjam problemas naturais do solo, não importa a qualidade da terra utilizada. Por isso, é importante adubar os temperos a cada pelo menos 30 dias. Esse tipo de produto é facilmente encontrado em horticulturas e até em supermercados.

Tipos de tempero para plantar

Agora que você já tem uma noção mais ampla sobre o quão simples é manter uma horta de temperos na cozinha do apartamento, mostraremos alguns exemplos de plantas que podem ser cultivadas com facilidade.

Hortelã

A hortelã é perfeita para ser cultivada em vasos, já que suas raízes se alastram e se acomodam pelo espaço disponível. Ou seja, hortelã é a planta perfeita para espaços limitados.

Seu solo deve ser mantido sempre úmido, por isso é preciso regar bastante. Seu sabor característico é perfeito para comidas grelhadas, assadas, molhos, sumos e até mesmo sobremesas, além de decorar pratos.

Cebolinha

A cebolinha é uma planta que se desenvolve em vários tipos de climas, aguentando inclusive temperaturas elevadas. Precisa de luz solar direta todos os dias para crescer mais forte e vistosa.

Uma de suas qualidades é o frescor que agrega ao prato. Por isso, é perfeita para saladas, molhos, condimentar carnes e temperar outros alimentos conforme o seu gosto. Vale destacar que ela pode atingir até 40cm de altura.

E sabe o que é melhor da cebolinha? Você não precisa nem comprar sementes e ter que se encarregar de fazê-las germinar. Faça o seguinte: quando for ao mercado, compre as que ainda venham com as raízes. 

Em seguida, corte somente as folhas e mantenha o bulbo com as raízes intactas. Com mais ou menos 4 centímetros a partir da parte de baixo, sem incluir as raízes, é só colocar esse bulbo em um copo com água.

Em poucas horas você vai ver que as folhas já começam a crescer de novo. Espere alguns dias com a planta ainda em água e depois transplante para um jarro. Daí em diante, a planta retoma seu processo natural e você vai ter cebolinha para sempre.

Orégano

Para cuidar do orégano é importante mantê-lo a maior quantidade de tempo possível em exposição à luz do sol. Dessa forma, além de torná-lo mais saboroso, o orégano fica com as folhas mais aromáticas. 

Lembrando que a planta de orégano chega a ter entre 20 e 80 centímetros de altura, podendo variar de espécie a espécie. 

Sobre a temperatura em que ele “gosta” mais, o orégano pode ser cultivado entre 5 a 32 graus. Mas o melhor mesmo é quando ele cresce em lugares entre 22 e 26 graus. 

Gostou dessas dicas? Compartilhe este post!